A importância do alongamento

O alongamento não é apenas um processo cuja finalidade é aumentar a flexibilidade. Na verdade, trabalhar a flexibilidade é uma das formas mais eficazes para se evitar lesões, tanto nas articulações, quanto nos músculos e tendões. As lesões por impacto e desgaste não podem ser evitadas com a prática do alongamento, mas existe uma melhora na circulação sanguínea, na postura e relaxamento do corpo, o que diminui as dores musculares. Também acontece a renovação de colágeno, o que ajuda à musculatura e os tendões a suportarem melhor o estresse do trabalho.

DSC_0294

O que é alongamento muscular? – Uma técnica que permite estirar as fibras musculares aumentando ou mantendo o comprimento destas estruturas e também a amplitude de movimento das articulações relacionadas à musculatura que está sendo alongada. Com o alongamento contínuo e frequente, esse aumento na amplitude de movimentos permanece.

DSC_0393

Existem diferentes métodos de alongamentos.

. Alongamento Estático: é o alongamento passivo. Aquele em que a pessoa permanece em uma posição estática e alonga o músculo até um ponto tolerável sustentando por cerca de 30 segundos.

. Alongamento Balístico: é o alongamento ativo. Nele, utilizam-se movimentos de oscilações rítmicas, no alcance pleno da musculatura, com o objetivo de alongar um músculo ou grupo muscular.

. Alongamento por Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva (FNP) ou método Kabat: só pode ser feito com a ajuda de um profissional. A pessoa fica em uma posição de alongamento estático enquanto o profissional realiza e sustenta o movimento.

DSC_0601

O programa de treinamento da flexibilidade deve ser desenvolvido e aprimorado de acordo com o progresso dos alunos, independentemente se os alunos fazem alongamento dentro do seu ambiente de trabalho, como numa empresa ou escritório, ou se são atletas profissionais. As posições aprendidas durante o treinamento são fáceis e podem ser praticadas sem ajuda. A pessoa deve sempre respeitar o limite do próprio corpo.

Para nós, bailarinos e atletas, é imprescindível fazer alongamento antes e depois do esforço físico. Antes, como já foi dito, o alongamento ajuda a preparar o corpo para a aula/treino. Já no final da aula/treino, a prática do alongamento “tem por finalidade evitar o encurtamento muscular, devido às sucessivas contrações musculares durante o treino. O encurtamento muscular tem como consequências o aumento do gasto energético, desestabilização da postura, utilização de fibras musculares compensatórias, compressão das fibras nervosas, aumento das incidências de cãibras e dor, além de prejuízo da técnica nas habilidades esportivas.” (via: webartigo publicado pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública em 18/04/2013 ‘Alongamento muscular: conheça os tipos, efeitos e benefícios!’).

DSC_0440

É mais fácil e prazeroso praticar o alongamento/aquecimento muscular quando a temperatura está agradável para o organismo (o que é uma noção individual). O uso de polainas, faixas, calças, macacões e boleros de lã acelera o processo para a preparação muscular, assim como mantém o corpo nesse estado “quente” por mais tempo, principalmente durante os intervalos comuns entre a aula e o ensaio. Por essa razão, é sempre bom para um bailarino ter em seu guarda-roupa, além da meia-calça e collant obrigatórios, uma peça de lã. Existe um senso comum entre os bailarinos clássicos, não só no Brasil, que quando uma parte do seu corpo dói é bom amarrar uma peça de lã nesse local para amenizar a dor. É difícil crer que essa “sabedoria popular bailarinística” tenha alguma base científica, mas quem é adepto da prática ou já experimentou, provavelmente sentiu um alivio quase que instantâneo na intensidade da dor, até nas articulares. Vale a pena tentar! Mas não se esqueça, se você está sentindo alguma dor que persiste, consulte um médico!

**Já conhece a nossa coleção desenvolvida especialmente para a hora de aquecimento? Vem ver!

(Fotos: Talita Teixeira para campanha de inverno Loja Ana Botafogo)


Comentários

Ana Silverio

Ana Silvério é professora, bailarina e coreógrafa. Formada em Coreografia, metodologia e Pedagogia em Dança pela Universidade Humanitária Sindical de São Petersburgo na Rússia, Ana foi premiada em festivais não apenas naquele país, como também no Brasil. Trabalhou em diferentes países da Europa e atuou como jurada em diversos Festivais Internacionais de Dança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.