Lesão no balé e a importância de saber ouvir o seu corpo

O assunto de hoje é muitas vezes ignorado pela mídia, que se interessa em mostrar só a parte bonita do balé, criando a ilusão de que a bailarina é um ser perfeito. Quem já sofreu alguma lesão dançando ou praticando o que gosta, sabe bem do que vou falar.

rWS1Z7n

No final de cada semestre no Bolshoi passamos por diversas avaliações práticas e teóricas. E em julho, como vocês sabem, acontece o Festival de Dança de Joinville. Pois bem, lá estava eu, dias antes de duas avaliações importantes, quando no meio do exercício de saltos, ouvimos um estalo muito forte. O estalo veio do meu pé, que tinha sido torcido. Até então não sabia ao certo o que tinha acontecido, só deu tempo de ficar assustada e sentir dor.

O que rolou foi o seguinte, estávamos todos naquele pique frenético de “vamos lá, tá acabando… Quase férias, força!”, por isso não dei muita bola pra dor que estava sentindo na perna. Então, inconscientemente, comecei a pisar de um jeito que não forçasse minha canela, e acabei torcendo o pé. Tive que me afastar das sapatilhas e em troca me agarrar na botinha ortopédica, muleta, gelo e sessões fisioterápicas.

1097961_603075809744632_1954207034_n

Quem não vive nesse meio não tem ideia do quão diretamente isso nos afeta. Nosso corpo é o nosso instrumento de trabalho, se uma coisa não funciona bem, nós não funcionamos bem. E como se já não fosse ruim o suficiente estar me sentindo inútil e dependente dos outros, nos momentos em que preciso sair de casa dá vontade de me esconder. As pessoas olham, comentam, cutucam o cara do lado pra olhar também, encaram, comentam mais… E caramba, é chato demais. Inclusive, não sejam essas pessoas!!!

Já faz um mês que estou afastada da dança e, apesar de ainda não conseguir subir na meia ponta, aos poucos estou colocando o pé no chão — não só no sentindo figurado. Sem pressa vou me reabilitando e resgatando a mobilidade do meu pé.

Então, saibam ouvir o corpo de vocês. Se ele grita é porque alguma coisa não vai bem, não é ignorando que a dor vai sumir e se você não parar de forçar por bem, seu corpo vai te obrigar a parar por mal. Take care!

Créditos das fotos: capa – Cris Gomes / bailarina: Melissa Oliveira |Reproduções da internet)

Comentários

Deixe uma resposta